Blog do Victão

Vitória do Cruzeiro sobre a Juazeirense tem sensação de alívio depois de outra atuação ruim

Bruno José fez o gol da vitória do Cruzeiro sobre a Juazeirense (Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Quando o árbitro Alisson Sidnei (TO) apitou o final de Cruzeiro 1 x 0 Juazeirense, depois de 50 minutos do segundo tempo, a primeira sensação do torcedor celeste foi de alívio. Não foi de satisfação, orgulho ou alegria. Foi alívio. Afinal o Cruzeiro conseguiu vencer. Uma importante vantagem neste duelo válido pela terceira fase da Copa do Brasil.

E é assim que tem acontecido nos jogos da Raposa. Um alívio muito grande quando o time consegue vencer. Afinal de contas não tem jogo fácil, nem mesmo diante da Juazeirense, que já estava sem jogar há quase mês e disputa a Série D do Brasileiro.

Mesmo que do outro lado não esteja um adversário qualificado, o Cruzeiro tem muita dificuldade para jogar. Não foi diferente da tarde/noite desta quinta-feira (3), no Mineirão. Um primeiro tempo bastante encrencado. Na etapa final, quase nenhum susto na defesa, mas o esforço de sempre para conseguir um gol.

O técnico Felipe Conceição mudou o time e colocou Rafael Sóbis para jogar como armador. Não é a dele. Talvez com mais tempo de treinamento e outros jogos na posição, o camisa 10 consiga desempenhar esse papel. De bom ficou a entrada de Guilherme Bissoli no ataque. Autor do gol na derrota para o Confiança e responsável pela assistência para o gol da vitória sobre a Juazeirense, o atacante já mostrou que não pode sair mais.

Mas o alívio do torcedor do Cruzeiro não vai durar muito tempo. No domingo à noite tem o CRB, pela segunda rodada da Série B. E na próxima semana tem a volta pela Copa do Brasil. A Juazeirense deixou o Mineirão com a sensação de que é capaz de conseguir reagir. E o pior é que o cruzeirense sabe que pode mesmo. Mais 90 minutos de busca pelo alívio.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments