Blog do Victão

Recorde de mortes por COVID-19: em 2020 o Mineiro parou no dia da primeira morte no Brasil

Grandes clubes fazem testes nos jogadores todas as semanas (Pedro Souza/Atlético)

Nas últimas 24 horas o Brasil registrou 1.910 mortes. Um triste recorde.

Mesmo com números alarmantes a situação não muda e a vida segue como se nada estivesse acontecendo. Qual a lógica para seguir com jogos de futebol?

Em 2020 o futebol nacional ficou parado por cerca de quatro meses. A Federação Mineira de Futebol (FMF) anunciou no dia 15 e março que a partir do dia 17 todas as suas competições estavam suspensas por tempo indeterminado.

Foi em 17 de março que se registrou a primeira morte no Brasil por COVID-19 – em junho o Ministério da Saúde fez uma correção e informou que a primeira morte aconteceu realmente em 12 de março. Independentemente se foi no dia 12 ou dia 17, o fato é que bastou uma morte para quase tudo parar. Inclusive o futebol.

Quase um ano depois a situação está bem pior do que em março de 2020. O Brasil é um país à deriva, sem comando, e registra o um novo recorde de mortes a cada dia. Sabe-se lá quando esse ciclo vai terminar. Mas, no futebol, nenhum movimento para que a bola pare novamente.

A segunda rodada do Campeonato Mineiro está garantida normalmente. Assim como as demais. Qual o sentido de seguir com a vida normal e não curar um país doente?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments