Blog do Victão

Olha ele aí! Diego Costa estreia pelo Atlético com gol em jogo que os números não podem explicar

Diego Costa marcou logo na estreia pelo Atlético (Pedro Souza/Atlético)

“Olha ele aí!”.

O bordão do narrador Jader Rocha, do Sportv, se encaixou perfeitamente com o momento. Coube a ele narrar o primeiro gol de Diego Costa pelo Atlético. Desde a chegada do jogador a Belo Horizonte existia a expectativa de quando seria a estreia. Cuca anunciou durante a semana que o camisa 19 estaria no banco de reservas diante do Bragantino. O suficiente para deixar a torcida ainda mais ansiosa.

E não é por menos. Diego Costa não jogava desde dezembro, mas os pouco mais de 30 minutos em campo deixaram claro como ele é um centroavante diferenciado e como será importante para o Atlético. Foi dele o gol no empate em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino, em Bragança. Resultado que mantém a sequência invicta do Galo no Brasileirão e que garantiu um ponto ao time alvinegro. Diante de todo o contexto, não tinha bordão melhor para descrever o que foi o primeiro gol de Diego Costa pelo Atlético: “olha ele aí!”.

Mas o gol atleticano já na reta final da partida não foi um acaso. O Atlético dominou o Bragantino. A classificação mostra que foi o duelo do líder contra o quarto colocado, mas em campo a diferença parecia ser maior. Foi uma daquelas partidas em que os números não podem explicar. Quem olhar apenas para as estatísticas da partida vai ficar sem saber o que aconteceu.

Amassou

De acordo com o aplicativo Sofascore o Atlético teve 66% de posse de bola, finalizou 26 vezes (contra apenas cinco do Bragantino), teve 17 escanteios (contra um do Bragantino), teve três grandes chances (contra nenhuma do Bragantino), teve 595 passes certos, com 91% de precisão (contra 252 do Bragantino, com 75% de precisão). Até mesmo em gols marcados o Galo ficou na frente. Marcou duas vezes, mas o primeiro foi contra.

Aliás, o Bragantino não finalizou uma vez sequer no rumo do gol atleticano. Os números deixam claro que foi um predomínio do Atlético. Na linguagem do futebol é o famoso “amassou”. Mas a bola tem disso. Tem dia, ou noite, que ela insiste em não entrar. Mas nem por isso o Galo desistiu. Pelo contrário. A equipe comandada por Cuca jogou o tempo todo em cima do adversário, que neste momento não deve nem saber como deixou o jogo com um ponto conquistado.

O torcedor está chateado, mas não está bravo

Dois empates consecutivos do Atlético no Brasileirão. O segundo, diante do Bragantino, foi numa rodada em que Palmeiras e Flamengo venceram. Mas a sensação do torcedor neste fim de noite de domingo não é de ódio ou ira. Pode ser uma chateação por não vencer. Pela bola apresentada e por tudo que o Atlético produziu diante de um dos melhores times da competição, o torcedor pés no chão ficou bastante satisfeito com o que viu.

Jogando o que jogou contra o Bragantino, dificilmente o Atlético deixará o campo derrotado. O Galo vai muito forte em busca do título nacional.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Geraldo Chamon

Nao está bravo ainda !!!!!

Galo Doido

Empatar jogando com um time da série B de zero a zero num jogo fraco como foi que é bom né?!

Geraldo Chamon

Acredito que ainda não será dessa vez !!! Mono !!

Galo Doido

Deveria ficar preocupado com o seu Vaidoso que está com um pé na série C.

EVANDRO M BOREM

Quem joga série B pode dar palpite ?

MARCOS

A gente abre exceção para as meninas