Blog do Victão

O futebol é o reflexo do Brasil, não é um mundo à parte. Jogadores fazem o que todos nós fazemos

O vídeo de torcedores do Atlético coagindo os jogadores Marrony e Dylan Borrero, que estavam numa festa, ficou entre os assuntos mais comentados do dia nas redes sociais. Imediatamente os atletas foram colocados como os vilões da história, sendo que todos os lados estão errados, não apenas os profissionais. Fruto de uma visão que trata o futebol nacional como um mundo à parte, e não um reflexo da nossa sociedade.

É óbvio que os jogadores estão errados. Não existe fazer festa durante uma pandemia. Assim como erraram os membros da comissão técnica alvinegra dias atrás. A cobrança em cima dos atletas não acontece motivada pela falta de respeito com o próximo, mas pelo fato de poder colocar em risco demais companheiros e atrapalhar a campanha do time que luta para ser campeão.

Mas a festa que estavam Marrony e Dylan Borrero não é muito diferente do que vi nas minhas redes sociais durante o final de semana. Amigos reunidos em sítios, em comemorações, viagens, bares e eventos de todos os tipos. É claro que há também quem ainda respeite o momento de quarentena e permaneça em casa. Assim como acontece entre os boleiros. Eles são um reflexo do Brasil, nada diferente da gente. Basta ver o aumento de ocupação dos leitos nos hospitais de Belo Horizonte e demais cidades brasileiras por pessoas infectadas com Covid-19.

Neste momento de pandemia a única diferença é que os jogadores fazem sempre o teste necessário para saber se estão infetados ou não, enquanto nós apenas em caso de sintomas.

Por muitas vezes se cobra do futebol algo que não existe no nosso país. A violência é mais um exemplo. O Brasil tem uma taxa de homicídios muito alta, mas mesmo assim é comum ver noticiários que demonizam as torcidas organizadas quando algo ruim acontece nas imediações do estádio ou pela cidade em dias de clássico. O futebol é a sociedade brasileira. Se tem violência no dia a dia, vai ter no futebol, não são mundos diferentes.

Não estou defendendo os jogadores e nem normalizando briga entre torcidas rivais. Não é isso. Me incomoda é a cobrança exagerada em certos pontos como se o futebol fosse diferente nos demais setores. E não é. O futebol apenas reflete a nossa sociedade.

Por isso estão todos errados naquele vídeo divulgado mas cedo. Por respeito ao próximo devemos evitar aglomerações. Nenhum cidadão tem o direito de coagir o outro, independentemente da situação. E que os jogadores sejam advertidos por quem deve.

E faça sua parte. Evite aglomerações e respeite as regras.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Categorias:
Opinião