Blog do Victão

O Cruzeiro não perdeu. Empatou sem muita gente saber que empatou. Na classificação nada mudou

Empate com o Vasco foi o 13º do Cruzeiro nesta Série B (Rafael Ribeiro/Vasco)

Acompanhei Vasco x Cruzeiro pela Rede Globo e estranhei a comemoração de Ramon e dos demais jogadores no gol da Raposa. Afinal de contas, de acordo com a transmissão, naquele momento estava 2 a 1 para o Vasco. Como faltava um minuto para o término do jogo, o natural seria alguém pegar a bola e correr para o centro do gramado para tentar uma chance para empatar a partida e não fazer coração com mão diante da câmera.

Mas depois ficou claro a falta de desespero pelo lado cruzeirense, pois a partida já estava empatada. Assim como milhões de torcedores que acompanharam o duelo pela Globo, eu só fui descobrir que o resultado foi 1 a 1 após o apito final. O segundo gol do Vasco foi corretamente anulado, mas simplesmente ignorado na transmissão.

É compreensível a comemoração efusiva dos jogadores dos membros da comissão técnica da Raposa. Gol no minuto final, empate fora de casa, mais um ponto conquistado e invencibilidade mantida. Mas no fundo não é bem assim. Basta olhar a tabela de classificação para saber que o empate tem sabor de derrota para o Cruzeiro, que ainda fala em brigar pelo acesso. Portanto, nesta altura do campeonato, empatar ou perder dá na mesma para o time estrelado.

São dez pontos de distância para o CRB (quarto colocado), que não entrou em campo ainda pela 25ª rodada. A equipe alagoana visita o Brasil, em Pelotas, e pode fazer com que a diferença fique ainda maior.

Fábio foi o nome do jogo

Não há dúvidas que Fábio é o grande nome deste elenco do Cruzeiro. Neste domingo, em São Januário, o camisa 1 celeste mostrou o motivo de ser ídolo de várias gerações de cruzeirenses. O empate no minuto final só possível pela grande atuação do arqueiro. Inclusive, a Raposa terminou perdendo a primeira etapa apenas por 1 a 0 graças a Fábio. Foram duas defesas difíceis em finalizações de Morato.

O Cruzeiro não fez um bom primeiro tempo. O Vasco foi amplamente superior. É verdade que Thiago teve uma boa oportunidade, mas ficou nisso. Enquanto isso a defesa se segurava como podia e com Fábio numa tarde inspirada.

Na etapa final o jogo ficou mais favorável ao time mineiro. A formação com dois centroavantes não funcionou no primeiro tempo e Marcelo Moreno foi o escolhido para sair. O Cruzeiro conseguiu pressionar o Vasco, mas faltou o que tem faltado nesta Série B: qualidade para definir as jogadas.

Bronca com a arbitragem vai ficar maior

Depois de toda a reclamação da arbitragem do jogo com o Operário, o Cruzeiro vai se queixar mais uma vez das decisões do juiz. Neste caso, o árbitro André Luiz de Freitas Castro, que não viu um pênalti claro de Marquinhos Gabriel em Adriano. Para completar, o VAR nem sequer chamou o juiz de campo, numa penalidade claríssima de ser ver pela televisão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Opinião

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rubens Eymard Alves

Victão,
O Cruzeiro já tem 8 oitos que não dá conta nem de pagar o aluguel do Mineirão. A principal atividade esportiva de um clube de futebol é uma partida de futebol e o Cruzeiro não dá conta nem de pagar o aluguel para realizar a sua principal atividade.

Jorge

Fala em acesso, mas teme o decesso… Se não cair, já tá bom. #trinaB. A tríplice coroa da vergonha!