Blog do Victão

Empate com a Chape é batom na cueca: não há desculpas. Atlético falha feio diante da lanterna

Dylan Borrero marcou o primeiro gol do Atlético diante da Chapecoense (Pedro Souza/Atlético)

Líder x lanterna. Melhor visitante x pior mandante. Defesa menos vazada x um dos ataque menos positivos da competição. Favorito ao título x virtual rebaixado. Tudo levava a crer em mais uma vitória do Atlético no Campeonato Brasileiro. Mas não foi o que aconteceu na Arena Condá, em Chapecó. O Galo tropeçou diante da Chapecoense e apenas empatou em 2 a 2. Empate conquistado no fim, com Eduardo Sasha.

Não há desculpas para a falha do time alvinegro no sul do país. Não dá para jogar na conta dos desfalques ou até mesmo do estado do gramado, bastante pesado por causa da chuva. Tudo bem que o campo não estava nas melhores condições, como o Atlético não estava com força máxima. Mas a condição do piso e com que Cuca mandou a campo e tinha no banco de reservas, o Galo tinha totais condições de vencer a Chapecoense.

Tanto que não demorou para o Alvinegro abrir o placar. O jogo caminhava relativamente tranquilo para o clube mineiro. Estava tão tranquilo que o Atlético parece ter relaxado, enquanto a Chape passou a gostar da partida. Começou a chegar. Começou a preocupar. E empatou. O resultado era justo em Santa Catarina.

Um Atlético muito abaixo para quem quer ser campeão nacional contra uma Chapecoense jogando sua honra, já que dificilmente evitará o rebaixamento à Série B. Mas, como normalmente o Galo volta melhor para o segundo tempo, a expectativa era por uma postura diferente na etapa final

Porém ficou ainda pior

O que estava ruim ficou ainda pior. Hulk estava com o barbatinho amarrado na bola e fez uma de suas piores apresentações com a camisa alvinegra. O Atlético não conseguia jogar e enquanto isso via a Chapecoense cada vez mais solta dentro de campo. O resultado foi a virada. Justa também, afinal de contas o time da casa fazia bem o que pretendia fazer.

Ao Atlético restou empilhar atacantes e meias no time, o que Cuca já fazia antes mesmo de levar a virada. Terminou a partida com um zagueiro, um lateral e um volante. Os demais eram meias ou atacantes. Deu certo? Eu acho que não. Por mais que tenha conseguido o empate com Sasha em cruzamento de Calebe, dois que saíram do banco de reservas, o atleticano tem de agradecer que Anselmo Ramon era o atacante da Chapecoense nos momentos finais da partida.

Fosse outro jogador com um pouco mais de velocidade, o vexame em Chapecó seria ainda maior. Agora, resta ao atleticano secar Flamengo e Palmeiras, além de torcer para que lá na frente os dois empates diante da Chapecoense não custem caro.

Empatar com um time que tem 38 pontos a menos, por duas vezes, é igual batom na cueca. Não há desculpas!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jack

Cavalo paraguaio

Nelson

Está dando toda a pinta! Quer ser campeão brasileiro perdendo 5 pontos pro lanterna? Quem explica a insistência com Nacho q não diz a que veio; com Hulk que só cai e reclama há muitos jogos? Mentira, perdeu pênalti também! Guga, que não sabe o que faz: não defende, nem ataca! Igor Rabelo, a cada jogada uma falha e uma falta! Alan, que não sabe o que é passar a bola pra frente: todo passe pra trás ! Não chega lá,,

Nelson

Hulk, quem è? Cover do Menino Ney? A única coisa q faz é cair e reclamar!
E o Nacho que nacha joga? Qual o medo de colocar o hermano no banco? É o camisa -10 do Galo! Com ele estamos jogando com 10, literalmente! Deixa de ser bundon, Cuca. Tira os dois!