Blog do Victão

É muito fácil fazer gols no Cruzeiro. Assim fica difícil sonhar com algo além da permanência na B

Chay aproveitou a fragilidade defensiva do Cruzeiro e marcou três gols (Vitor Silva/Botafogo)

Já são 19 gols sofridos pelo Cruzeiro em 11 rodadas do Campeonato Brasileiro da Série B. A Raposa tem a defesa mais vazada entre os 40 clubes que estão nas duas principais divisões do futebol nacional. É muito fácil fazer gols no time estrelado e o Botafogo deixou isso claro no confronto deste sábado, que terminou empatado em 3 a 3, no Estádio Nílton Santos, no Rio de Janeiro.

O resultado mantém o Cruzeiro bastante distante do G4 do Campeonato Brasileiro. Enquanto a equipe cruzeirense abriu a 11ª rodada da Série B, tem clubes que entraram em campo somente oito vezes. A distância para o quarto colocado está em seis pontos neste momento e pode ser nove no próximo sábado, quando a Raposa entra em campo novamente, para enfrentar o Avaí, no Mineirão.

Pior. Com uma combinação desastrosa de resultados o Cruzeiro pode até mesmo entrar na zona do rebaixamento nos próximos dias. E tudo isso por um motivo: é fácil demais fazer gols na equipe celeste.

O Botafogo marcou três gols e nem precisou jogar bem. Chay foi o grande nome da partida, por ser o responsável por todos os tentos dos cariocas, mas em lances originados nas inúmeras falhas defensivas da Raposa. Desde o erro de passe na saída de bola e até os zagueiros batendo cabeça dentro da área. Depois de duas partidas em que não sofreu gols, contra Brasil de Pelotas e Coritiba, mais pelo fato de ser contra adversários que pouco atacaram.

Caso Mozart não consiga armar uma defesa que seja capaz de segurar uma virada na casa do adversário, o Cruzeiro não vai conseguir nada além de garantir a permanência na Série B por mais uma temporada. Mas é preciso ajustar para ontem, mais de 25% da Série B já passou.

A Série B precisa do VAR

É urgente que a Série B também conte com o árbitro de vídeo. Tudo bem que o Cruzeiro errou demais contra o Botafogo, como tem sido uma constante nesta campanha. Mas a Raposa pode reclamar da não expulsão de Gilvan, que chutou Wellington Nem. O árbitro Rodolpho Toski Marques (PR) apenas amarelou o zagueiro botafoguense.

Não é certeza de vitória, mas possivelmente os minutos finais teriam um roteiro diferente.

Marcelo Martins em campo

Para não dizer que tudo foi péssimo para o Cruzeiro diante do Botafogo, a partida pode ter marcado o retorno do Marcelo Moreno que conquistou a torcida com muitos gols. Ele marcou duas vezes. Lembrou mais o Marcelo Martins, da Bolívia, do que o Marcelo Moreno que jogou pelo Cruzeiro nos últimos 18 meses.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Adilson bantetli

Também é muito fácil prejudicar o Cruzeiro em 11 rodadas foi prejudicado em 4 . Difícil contra 14. Deixo uma pergunta. Porque a CBF não deixa o Cruzeiro subir???.

Itamar

Chora não, BB.