Blog do Victão

Cruzeiro aproveita bem a tabela do Mineiro, mas segue devendo futebol. Mais alívio do que alegria

Pottker fez o primeiro gol do Cruzeiro na vitória sobre o Coimbra (Bruno Haddad/Cruzeiro)

O Cruzeiro venceu duas partidas consecutivas no Campeonato Mineiro. Bateu o Boa Esporte e o Coimbra, por 1 a 0 e 2 a 0, respectivamente. A Raposa aproveitou bem o que a tabela da competição lhe ofereceu: os dois times da zona do rebaixamento em sequência.

Seis pontos conquistados e a classificação para a semifinal foi encaminhada. Um alívio.

Mas, assim como foi diante do Boa, o triunfo sobre o Coimbra trouxe muito mais alívio do que alegria para o cruzeirense. Por ter mais posse de bola a equipe Felipe Conceição não sofreu tanto diante de um recuado Coimbra, que abdicou de atacar que abraçou o empate com todas as forças. Tanto que dessa vez Fábio nem sequer foi exigido.

Só que o futebol apresentado ainda está longe de ser considerado satisfatório. As partidas são parelhas, mesmo contra adversários bem inferiores.

É evidente que o time melhorou em relação aos jogos anteriores. Mas ainda é muito pouco. O gol de William Pottker trouxe mais alívio do que alegria. Felipe Augusto marcou no último lance, quando a vitória já estava garantida e o Coimbra se lançou ao ataque.

No final de semana tem o clássico com o Atlético. Certamente o cruzeirense mais lúcido sabe que o futebol apresentado até o momento não é o suficiente para bater o rival. Vale a mística do clássico, em que tudo pode acontecer.

Já na próxima semana tem o duelo com o América-RN, pela segunda fase da Copa do Brasil. Outra partida que gera apreensão no torcedor, que sabe que não será uma parada fácil levando em conta o futebol apresentado pelo time até o momento.

E assim o cruzeirense vai levando a temporada. Na base do alívio a cada apito final.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabricio

Exatamente, resumiu muito bem. Todo jogo é apreensão. Nunca que esse Cruzeiro entra em campo tem vida fácil. Não se impõe, não tem nem de longe a intensidade que o técnico tanto busca. Todo jogo é na bacia das almas, não faz gol no primeiro tempo e arrasta o jogo até conseguir um gol ali as vezes e só.

Filipe Braga

Postagem anterior já estava inflamando crise. Querendo pilhar para técnico cair.
Ganhou e “segue devendo”… a ideia deve ser essa mesma, colocar pressão em técnico e jogadores, o que não ajuda em nada o clube. Não vou dizer que é cocota – coisa que a mídia mineira tá cheia – porque seria leviandade.

Filipe Braga

Complementando, vale destacar:

“o futebol apresentado até o momento não é o suficiente para bater o rival”

Nem o melhor técnico e o melhor elenco da série B teriam futebol apresentado suficiente para bater um rival que é dos times que mais gastam no Brasil. Ponto. É jogar por um ponto – ou perder de menos – e no máximo surpreender e arrancar uma vitória na raça. E levando ou não goleada, o MINEIRO NÃO INTERESSA.

Patético-MG na Série B foi chacota contra o Cruzeiro. Não aguentava nada. Subiu facilmente.

Se torcedor parar de ir na pilha e diretoria não trocar técnico DE JEITO NENHUM, o Cruzeiro sobe. Ano passado com todos os problemas e trocas, a pressão dos 6 pontos a menos acabou sendo decisiva. Não tenho dúvidas que subiria, a bola queimaria menos, cairiam menos técnicos etc.