Blog do Victão

Atlético x Santos mais pareceu um jogo-treino do time profissional contra os garotos do sub-20

Savarino fez os dois gols do Atlético contra o Santos (Pedro Souza/Atlético)

Já fui repórter setorista de clube futebol por muitos anos. América, Atlético, Cruzeiro e até do Ipatinga. Das atividades mais chatas que já vi foram os jogos-treino entre o time profissional e a equipe sub-20. E foi justamente o que vi no duelo entre Galo e Santos, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

Com 20 minutos a partida estava resolvida. Com dois gols de Savarino, o segundo deles um foi um golaço, o Atlético fez 2 a 0 e assim ficou até o fim. Com o placar definido, a equipe de Jorge Sampaoli não precisou fazer muito mais para segurar a vantagem e garantir mais três pontos na classificação. Exatamente como faz a equipe principal quando enfrenta os garotos no treino. Faz o resultado e depois administra.

E não esperava algo diferente do Santos. O clube está totalmente mobilizado para o que realmente importa para ele, que é a final da Copa Libertadores, neste sábado (30), contra o Palmeiras. Por isso a escalação praticamente reserva, com exceção do goleiro John.

Com uma equipe basicamente formada por moleques, o Santos fez o papel dele. Tentou, lutou e criou boas chances. Aliás, o problema crônico da equipe de Jorge Sampoli é a facilidade que os adversários encontram para finalizar dentro da área, quase sempre com o atacante livre.

Mas a diferença entre os dois times era nítida. Melhor para o Galo que escapou de enfrentar o Santos titular e precisou apenas jogar para o gasto para vencer uma equipe sub-20 recheada com alguns “veteranos”. São mais três pontos para a conta e agora a distância para o Inter é de cinco pontos.

Com mais 18 em disputa, o Galo segue na luta. A tabela é algo que pode fazer a diferença. O Atlético pode chegar apenas jogando para o gasto, enquanto os adversários diretos têm partidas mais complicadas. Resta saber se com a presença de Keno ou não. A lesão do atacante preocupa e será uma baixa importante, se confirmada, nesta reta final.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.