Blog do Victão

América só não esteve na liderança por quatro minutos. A tristeza não pode superar o orgulho

O título não chegou, mas o América fez uma grande temporada (Mourão Panda/América)

O América esteve muito perto de se tornar o primeiro clube três vezes campeão da Série B do Campeonato Brasileiro. O Coelho bateu o Avaí por 2 a 1, no Independência, e terminou o jogo na liderança. Mas ainda tinha bola rolando na Arena Condá. A Chapecoense marcou de pênalti, no mínimo polêmico, e bateu o Confiança por 3 a 1.

Quatro minutos. Apenas quatro minutos foi o tempo que o América não esteve na liderança durante a última rodada da Série B. Foram três minutos logo no começo dos jogos, entre o primeiro gol da Chape e o primeiro do Coelho. E ainda teve um pênalti defendido por Mahteus Cavichioli nesse intervalo de três minutos.

O América fez 2 a 0, ainda no primeiro tempo, e viu o Confiança empatar com a Chape, logo no começo da etapa final. A boa notícia não demorou para chegar até o Independência e claramente afetou o desempenho americano. Foi nítido que teve um relaxamento do time mineiro. Naquele momento eram necessários três gols para que o título não ficasse em BH.

E o que estava bem encaminhado rapidamente se complicou. Dois dos três gols que a Chape precisava saíram, um em cada estádio, num intervalo inferior a 20 minutos. Lisca rapidamente agiu e fez quatro alterações de uma só vez. Cobrou pelo terceiro gol no Horto. Ademir teve a chance, mas isolou. O jogo acabou e restava apenas torcer.

Mas não deu. Um pênalti maroto decidiu e a Chapecoense levou o título, no minuto final. Completando quatro minutos na liderança, mas foi o suficiente. Mais um lance pra o América adicionar na lista de erros da arbitragem. O gol mal anulado contra a própria Chape foi o mais decisivo deles.

Os jogadores do América acompanharam a batida de Anselmo Ramon por um monitor do Sportv, na beira do gramado. Choro e decepção depois da bela cobrança do atacante da Chape, de cavadinha. Tristeza justa, mas que não pode ser maior do que o orgulho do que foi a temporada do Coelho.

O América está de volta à Série A, com sobras. Chegou às semifinais do Campeonato Mineiro e da Copa do Brasil. Tem um trabalho consolidado, um técnico em alta e recursos para montar uma equipe boa o bastante para não cair em 2021. E tudo isso vale mais do que a tristeza de ficar sem o título de uma competição em que quatro times podem ser considerados campeões.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments