Blog do Victão

A melhor notícia para o Atlético não foi a vitória, o tropeço do São Paulo ou a liderança do returno

Hyoran fez um dos gols do Atlético sobre o Atlético-GO (Divulgação/Mineirão)

Um final de semana praticamente perfeito para o torcedor do Atlético. Muita coisa boa aconteceu para o atleticano, desde o não acesso do Cruzeiro na Série B do Campeonato Brasileiro e até a boa vitória sobre o Atlético-GO, por 3 a 1, no Mineirão, pela 30ª rodada do Brasileirão.

Entre as coisas boas que aconteceram para os torcedores do Galo estão a derrota do rival para o Juventude, o tropeço do São Paulo diante do Athletico-PR, mais três pontos conquistados no Brasileirão ou liderança do returno, com 21 pontos. Nenhuma delas é tão boa quanto o retorno do bom futebol. O Atlético fez sua melhor exibição em muito tempo.

O time de Jorge Sampoli voltou a ser aquela equipe que se impõe e pressiona o adversário praticamente o tempo inteiro. Intensidade e pressão constante marcaram o Galo nas primeiras rodadas. Características que haviam sumido por algumas rodadas e retornaram neste domingo. Um número para exemplificar. No primeiro tempo foram oito roubadas de bola da equipe alvinegra, sendo cinco no campo de ataque.

Restando nove jogos para o encerramento do Brasileirão, voltar a jogar bem é melhor notícia que o atleticano poderia receber. Numa competição atípica e diferente de outros anos, por razões óbvias, o campeão será aquele time que tiver a melhor arrancada na reta final. Isso vai ser mais determinante do que a regularidade, que é uma marca da competição por pontos corridos.

Pontos que o São Paulo tem deixado pelo caminho. O Tricolor já teve sete a mais do que o Galo, num momento em que eu cheguei a dar o time mineiro como carta fora do baralho. Mas com a equipe de Fenando Diniz não vence há três rodadas e o Atlético tem uma partida a mais por fazer. Portanto, a diferença em pontos perdidos é de apenas um.

Outra característica desse Brasileirão diferente é como os líderes são taxados de favoritos a azarões em poucas rodadas. Os postulantes ao título mudam constantemente. Além do Atlético e do líder São Paulo, Flamengo e Internacional também passaram ou passam por isso. Nada que uma boa sequência de triunfos para reconquistar a condição de forte candidato. Vide o Colorado, que saiu da sexta colocação para depender apenas de seus resultados para levar o troféu.

Por isso, num Brasileirão marcado pela oscilação de todos os clubes, até mesmo dos ponteiros, jogar bem na reta final vai ser o grande diferencial. Quem joga bem está mais perto das vitórias. O Atlético tem bola para jogar bem. Fez isso durante boa parte da competição e fez novamente contra o Atlético-GO.

Se algumas rodadas atrás eu coloquei o Galo fora da disputa pelo título, hoje eu recoloco o time de Sampaoli entre os mais fortes candidatos. No mesmo patamar de São Paulo, Internacional e Flamengo, sem me esquecer de Palmeiras e Grêmio. Mas é preciso jogar bem. O campeão será quem apresentar o melhor futebol nesta final e o Galo tem totais condições. O Brasileirão deu uma nova oportunidade para o Atlético. Que ele não desperdice outra vez.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments