Blog do Victão

“Subiu sem treinador”. Lisca provocou desafeto e agora depende dele para o América voltar à ponta

Lisca torce por time de desafeto para América voltar à liderança (Estevão Germano/América)

“A torcida pegou o time e subiu ele. O Paraná subiu sem treinador. Eu tenho muito carinho pelo time e um dia vou voltar para treinar esse time”, disse o técnico Lisca de Lorenzi, em agosto de 2018.

A resposta foi uma provocação a Matheus Costa, que era seu auxiliar e assumiu o Paraná em 2017, após Lisca ser demitido. E o motivo da demissão foi justamente uma briga com o então auxiliar.

A confusão aconteceu em setembro de 2017, em Belo Horizonte. O Paraná estava na capital mineira para enfrentar o Atlético, pela semifinal da extinta Copa da Primeira Liga. Visando a Série B, Lisca queria poupar alguns titulares. Já o auxiliar Matheus Costa estava alinhado com a diretoria, que desejava ter força máxima no confronto.

Na véspera do duelo, Lisca e Matheus se desentenderam no hotel. Há relatos de bate-boca e troca de empurrões. Na manhã seguinte, dia do jogo, Lisca foi demitido pelo Paraná. Matheus Costa assumiu o cargo de treinador e reconduziu a equipe paranaense à Série A do Brasileirão. Na Primeira Liga o Atlético eliminou o Paraná, que teve força máxima.

Anos depois, Lisca precisa da ajuda de Matheus Costa para que o América recupere a liderança da Série B. Após três empates consecutivos, o Coelho perdeu o primeiro lugar para a Chapecoense, que nessa quinta-feira (21) bateu a Ponte Preta, por 1 a 0. Agora a classificação mostra 70 pontos para os catarinenses contra 69 dos mineiros.

Restando duas rodadas para o término da competição, o América precisa de um tropeço da Chapecoense no próximo jogo, para recuperar a primeira colocação. E é aí que a relação entre Lisca e Matheus Costa volta à tona. O próximo duelo da Chape é contra o Operário, treinado pelo desafeto do técnico do Coelho.

A Chapecoense visita o Operário na segunda-feira (25). A derrota para o Cruzeiro praticamente tirou a chance de acesso do time paranaense, que pode entrar em campo já sem nenhuma possibilidade de subir, pois CSA e Juventude vão jogar dois dias antes. Será preciso um grande trabalho de motivação do treinador para que o Operário não jogue apenas para cumprir tabela.

Além do Operário, a Chapecoense ainda enfrenta o Confiança, na última rodada, em Chapecó. Os jogos finais do América são contra Confiança, fora, e Avaí, em casa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments