Blog do Victão

Depoimento de Cuca foi primeiro ato para tentar diminuir rejeição com parte da torcida do Atlético

Cuca está muito perto de ser confirmado pelo Atlético para 2021 (Bruno Cantini/Atlético)

Cuca aceitou o convite para retornar ao Atlético na noite do último sábado (27), como informado pelo Blog. O acerto foi apenas verbal. Alguns detalhes ficaram pendentes, com a previsão de uma reunião nessa terça-feira (2) para que o retorno do técnico à Cidade do Galo fosse confirmado. O encontro aconteceu e tudo saiu como o esperado. Mas Cuca ainda não foi anunciado.

Falta apenas a assinatura de contrato para que o treinador seja confirmado pelo Atlético.

E desde a tarde passada Cuca e o Atlético já trabalham em conjunto para amenizar a rejeição ao nome do técnico. Não é pela capacidade, afinal se trata do cara que montou o Atlético campeão da Copa Libertadores, em 2013.

Mas por um triste episódio ainda no começo da carreira como jogador, lá em 1987. Cuca estava no Grêmio e ficou quase um mês preso na Suíça, acusado de estupro. Cuca, Henrique, Fernando e Eduardo foram condenados pela Justiça suíça, por 15 meses de prisão. Mas como já estavam de volta ao Brasil e o país não extradita nacionais, a sentença prescreveu em 2004.

Há quase dez anos, quando o assumiu o Atlético pela primeira vez, em agosto de 2011, o assunto não era um incomodo para Cuca. Felizmente o Brasil mudou bastante em uma década. Hoje o treinador é cobrado por um ato de 34 anos atrás. Tanto que parte da torcida imediatamente se posicionou contra o retorno do treinador.

#CucaNão e #CucaSim tomaram conta das redes sociais dos atleticanos. A divisão é seguinte: quem lembra dos bons momentos do início da década passada com quem não aceita alguém condenado por estupro no comando técnico do clube. Por isso o treinador gravou um depoimento para a jornalista Marília Ruiz, que postou o vídeo de pouco mais de cinco minutos no Uol.

Foi a primeira vez que Cuca falou publicamente sobre o assunto, pelo menos desde que isso voltou à tona, alguns anos atrás. Ao lado da esposa e das filhas, o treinador negou qualquer participação no crime. Disse que a condenação à revelia, mas isso só aconteceu por não comparecer ao julgamento por medo de ser preso.

O depoimento foi o primeiro ato para tentar diminuir a rejeição ao nome de Cuca. O treinador e o Atlético já trabalham em outras maneiras para que essa rejeição não cresça e não atrapalhe o trabalho na Cidade do Galo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Notícias

All Comments