Blog do Victão

Cruzeiro vai fechar 2021 com déficit acima de R$ 100 milhões e balanço aponta 2022 ainda pior. Sem receitas novas a conta não vai fechar

Sem novos recursos o 2022 do Cruzeiro será muito complicado (Bruno Haddad/Cruzeiro)

O Cruzeiro fechou o primeiro semestre de 2021 com déficit de R$ 68,4 milhões. É como se em cada um dos seis primeiros do ano a Raposa gastou mais de R$ 11 milhões além do que arrecadou. Os números constam no balanço financeiro divulgado pelo próprio clube dois dias atrás. Considerando os dados apresentados pela diretoria cruzeirense é possível fazer duas constatações: o déficit da temporada será superior a R$ 100 milhões e 2022 caminha para ser ainda pior.

Falar sobre as finanças do Cruzeiro não é algo nada fácil, até mesmo para especialistas. É preciso levar muitos fatores em consideração, inclusive casos de polícia. Também é necessário entender que o clube carrega um passivo muito grande, o que contribuiu de forma considerável para o déficit de quase R$ 70 milhões somente no primeiro semestre. No meio de tudo isso ainda tem uma gestão ruim no futebol. O time do Cruzeiro é caro demais pelo retorno que dá dentro de campo e o resultado a permanência na Série B pela terceira temporada consecutiva.

Mas, independentemente dos erros de gestões anteriores e também da atual, quem sofre é o torcedor. E o balanço financeiro é muito claro e não deixa dúvidas sobre a única solução possível para o clube. Sem novas receitas o Cruzeiro jamais vai sair do buraco. Com os valores atuais, entre o que arrecada, as despesas recorrentes e as dívidas, o clube não é capaz de andar com as próprias pernas. Tanto que recorreu a parceiros para resolver a questão dos salários atrasados.

Portanto, seja através da SAF (Sociedade Anônima do Futebol), parcerias ou até mesmo mecenato, como citado pelo presidente Sérgio Rodrigues na semana passada, a verdade é que o Cruzeiro precisa de receitas novas para ontem.

Copo meio vazio ou copo meio cheio

Levando em conta o balanço apresentado pelo Cruzeiro, é possível estimar que no fim da temporada o clube terá um déficit superior a R$ 100 milhões. Um número que assusta qualquer pessoa, até mesmo os mais leigos. No entanto, considerando as finanças da Raposa em 2019 e 2020, o cruzeirense pode até enxergar o copo meio cheio. Embora o déficit vá superar a barreira dos R$ 100 milhões pelo terceiro ano seguindo, o valor em 2021 será menor se comparado aos anos anteriores.

Em 2019 o déficit celeste foi de incríveis R$ 394 milhões, enquanto em 2020 foi de R$ 226,5 milhões. É importante destacar que o desastroso desempenho financeiro de 2019 teve forte influência em 2020 e terá também sobre 2021. Portanto, o cruzeirense mais otimista pode enxergar o copo meio cheio.

Mas por outro lado, o torcedor mais pessimista pode ver o copo meio vazio. Por mais que esteja na maior crise de sua centenária história, o Cruzeiro ainda teve mais dinheiro para montar o time de futebol do que os concorrentes na Série B, no ano passado e agora. Mas nem assim conseguiu o acesso nas duas primeiras temporadas e jogará a Segunda Divisão pelo terceiro consecutivo.

Sem grana nova, 2022 vai ficar ainda pior

O que falar do 2021 do Cruzeiro? Para o torcedor serão poucas as boas lembranças da temporada do centenário. Algumas vitórias marcantes, como foi no clássico com o Atlético, pelo Campeonato Mineiro. No mais, uma temporada sem muito destaque positivo. Fora de campo será o ano marcado pelo constantes atrasos salários, pela busca de jogadores livres e de baixo custo. Sem contar a paralisação do elenco, ou greve, chame como quiser, pela falta de pagamentos.

São R$ 9 milhões em salários que estão atrasados, para jogadores e jogadores, além dos funcionários do clube. Além disso, não há previsão de receitas até o fim do ano, como informou o apresentador João Vitor Xavier, da Rádio Itatiaia. Para quitar os atrasados e fechar 2021 sem pendências financeiras a diretoria celeste está nas mãos de cruzeirenses ricos.

E não é que pode ficar ainda pior? A partir de janeiro de 2022 o Cruzeiro tem uma série de acordos a cumprir. Vai desde acertos na Justiça com jogadores, repactuação de salários e até mesmo o acordo feito com Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Serão mais de R$ 2 milhões por mês de contas novas, que não estão no balanço do primeiro semestre de 2021.

Portanto, além de lidar com o rombo que já existe, o clube terá mais obrigações financeiras a partir de janeiro. Caso não honre os acordos, o clube corre o risco de ter contas bloqueadas e até mesmo perder os descontos que conseguiu nas negociações.

Afinal o déficit foi de R$ 68,4 milhões ou R$ 12 milhões?

Em um primeiro momento a imprensa chegou a noticiar que o déficit do Cruzeiro no primeiro semestre foi de R$ 12 milhões. Mas depois de uma análise do balanço financeiro com mais critério, fica claro que o déficit real foi de R$ 68,4 milhões. E qual o motivo de tamanha diferença?

A resposta está no método utilizado pelo Cruzeiro. O déficit de R$ 12 milhões está no balanço ajustado. Como o próprio nome diz, é uma conta que pode sofrer ajustes. A contabilidade do clube retirou algumas despesas dessa soma, provavelmente por serem dívidas contraídas em gestões anteriores ou até mesmo na temporada passada. Portanto, o balanço ajustado permite que sejam apresentados números específicos ao primeiros semestre de 2021.

Ou seja, a diretoria do Cruzeiro mostrou que se não fossem os problemas gerados em anos anteriores o déficit seria muito menor do que o real. É um número que serve para medir o trabalho da direção atual, sem jamais esquecer que são números ajustados por ela própria, mas não para demonstrar a verdadeira situação do clube.

Tanto que para o balanço anual, que geralmente é auditado por terceiros, os números ajustados não são considerados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Categorias:
Notícias

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vitor Silva

Ou seja, estão perdidos mesmo.

Murilo Andrade Marçal

Traduzindo , já era, e quem roubou o clube anda por aí de carrão, neste país justiça é uma corja de vagabundos comedores de impostos como todo político e funcionário público.

Demerson

Murilo, sou funcionário público (Professor do Estado) e acho que vc foi muito infeliz na sua colocação, cuidado para não cometer injustiça na sua decepção com a nossa justiça.

Gustavo

Murilo, também acho que vc foi muito infeliz no seu comentário. Sou filho de professora da rede estadual e sou Bombeiro Militar. O salário que recebo vem de impostos pagos sim, mas honro cada centavo que recebo e não sou comedor de impostos.

Teobaldo

Vale lembrar o que disseram Vitorio Medioli, Emilio Brandi, Sérgio Froes e Pedro Lourenço em janeiro/2020, logo após assumirem como CEO’s: o Cruzeiro precisa ser refundado e começar do zero! Mas o ex-presidente Gilvan de Pinho Tavares, um dos artífices da quebradeira, levado por arrogância e vaidade, não permitiu. Eis o resultado! Dito isto chego à seguinte conclusão: tem que manter isso aí, viu!!!

M Braga

Victor Martins é franga! Precisa dizer mais nada! Observe a foto que o vagabundo colocou. Isso é propina do Kaliu or da mnin(a)

Bê Bê C.

A conta não fecha mas o caixão fechou com o preguinho do Avaí!!! Se eu fosse uma Maria eu comemorava hoje ainda, enquanto é tempo, enquanto existe o time e enquanto o outro lá não levou a Copa do Brasil e o Brasileirão. Desgraça pouco é bobagem!