Blog do Victão

Cruzeiro não teria chance de acesso mesmo sem punição. Foram só cinco rodadas “dentro” do G4

Cruzeiro venceu apenas 14 vezes em 37 já disputados na Serie B (Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Em maio em o Cruzeiro recebeu uma dura punição da Fifa. Por não pagar uma dívida superior a R$ 5 milhões com o Al Wahda, dos Emirados Árabes, pelo empréstimo do volante Denílson, contratado em 2016, a Raposa perdeu seis pontos antes do começo da Série B. Certamente iniciar a competição com pontuação negativa interferiu no não acesso celeste, mas os números da campanha mostram que o problema vai além.

Não tem como desprezar o efeito causado pela punição. Mas também não tem como calcular de maneira correta o peso de jogar a Série B com seis pontos a menos por causa de uma dívida de quatro anos antes. O fato é que mesmo num hipotético cenário de não perda de pontos o Cruzeiro também chegaria à última rodada da segunda divisão sem nenhuma possibilidade de acesso.

Na sexta-feira a Raposa enfrenta o Paraná, em Curitiba. Em caso de vitória, a equipe mineira chegará aos 51 pontos. Com o seis da punição imposta pela Fifa, poderia terminar a Série B com 57. Pontuação insuficiente para brigar pelo acesso, já que o Juventude, o quarto colocado, tem 58.

Com certeza pressão sobre o time estrelado seria diferente em alguns momentos da competição caso tivesse seis pontos a mais. Se por algumas rodadas o Cruzeiro chegou a figurar dentro da zona de rebaixamento, em caso de não punição jamais terminaria uma rodada sequer entre os últimos colocados.

Por outro lado, a equipe não conseguiu desempenhar um bom papel dentro da Série B. Não por um acaso que teve três treinadores, além de um interino. Outro dado que deixa claro que o Cruzeiro foi muito aquém do esperado e que o acesso não aconteceu apenas por causa dos pontos perdidos é o número de vezes dentro do G4.

Em função da punição aplicada pela Fifa, a Raposa não apareceu nenhuma vez na zona de acesso para a Série A. Por duas rodadas apareceu na 10ª colocação, o posto mais alto ocupado pela equipe durante a jornada na segunda divisão. Com mais seis pontos, em termos de G4, a situação não seria muito diferente.

Sem a punição o Cruzeiro seria presença entre os quatro primeiros colocados em apenas cinco rodadas, logo no começo da competição, quando somou dez pontos em 15 possíveis. A Raposa até seria líder por duas vezes.

Não há dúvidas que seis pontos a menos dificultaram bastante as coisas, mas os números comprovam que os problemas na Toca da Raposa vão muito além de uma dívida não quitada.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Notícias
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments