Blog do Victão

Ausência de #VacinaJá na camisa 17 do Cruzeiro foi uma infeliz coincidência e não algo político

Matheus Barbosa, camisa 17 do Cruzeiro, antes de entrar no clássico com o América (Reprodução Premiere)

Quase dez minutos do segundo tempo é o técnico Felipe Conceição resolve fazer três alterações no time do Cruzeiro, que naquele momento já perdia o clássico para o América por 1 a 0, no Independência, pela 5ª rodada do Campeonato Mineiro.

Matheus Barbosa, Bruno José e Marcinho estavam na beirada do gramado quando foram focalizados pela transmissão da televisão. Foi então que muita gente notou algo diferente na camisa do volante Matheus Barbosa, o número 17.

O uniforme não estava com a campanha #VacinaJá, lançada pelo Cruzeiro horas antes do confronto com o América. O clube divulgou nas redes sociais uma ação voltada para ajudar a combater o novo coronavírus, o que é possível apenas com a vacina e o isolamento social.

Imediatamente o fato de a camisa 17 não ter a mensagem da campanha foi ligado a Jair Bolsonaro. O Presidente da República usou o número 17 na campanha eleitoral de 2018 e é claramente contra a vacina e qualquer medida efetiva capaz de combater o Covid-19.

Porém, o que aconteceu foi uma desatenção da rouparia do clube e se repetiu com outros atletas. Não foi algo político, como apurou o Blog. Foi realmente uma infeliz coincidência.

No primeiro tempo já foi possível notar que a camisa de Felipe Augusto, o número 22, já não tinha a mensagem #VacineJá. No segundo tempo, após a troca de camisas, ficou mais evidente. Eduardo Brock, Matheus Pereira, Adriano e Marcelo Moreno foram alguns dos jogadores que não tinha a campanha no uniforme que utilizaram na etapa final.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments